Pai, herói?

II Samuel 17:10: “porque todo o Israel sabe que teu pai é herói e que homens valentes são os que estão com ele.”
1. O dicionário define a palavra herói como sendo “notado por suas obras de coragem, ou nobreza de propósito, o herói arrisca ou sacrifica a sua vida.” Outra definição diz que “ o herói é uma pessoa proeminente em algum evento, campo ou causa em que alcançou ou contribuiu com algo especial .”
2. Os verdadeiros heróis compartilham certas características básicas. Eles sabem no que crêem e praticam isso sem importar com as conseqüências. Estão dispostos a sacrificar o seu tempo para ressaltar os seus valores. Os heróis não são apenas conversa, o andar deles mostra quem são e o que são.
3. Os heróis nunca são grandes demais para curvar-se e ajudar os outros. Eles nunca pensam que são tão sábios que não precisam aprender mais nada. Os heróis nunca confundem força com doçura, podem mostrar essas duas coisas quando qualquer delas for necessária. Os heróis sempre compartilham seus dons com outros e sempre seguem as regras. Os heróis nunca se acostumam tanto com o sucesso que não possam lembrar-se de como é fracassar.
4. Infelizmente, muitos dos heróis de hoje, são de faz de conta, não tem compaixão, valores familiares e nem sequer ética. Podem ser bons no que fazem, podem ser temporariamente populares, podem ganhar fama e dinheiro, mas não vale à pena seguir os passos deles.
5. Seu filho precisa de um verdadeiro herói. Você gostaria de ser o verdadeiro herói para seu filho? Não sei qual seria a sua reposta; é possível que você respondesse que o herói para seu filho poderia ser uma celebridade, alguém muito especial e importante. Na realidade você pai não precisa competir com as estrelas do cinema e dos filmes, nem com as pessoas mais importantes da face da terra. Você é o herói de seu filho. Não se trata simplesmente de você desejar sentir-se importante, respeitado ou amado. Não porque quer gozar de admiração e bons sentimentos sobre um Super pai.
6. O pai herói é o que demonstra e age com amor e compaixão; tem um caráter consistente; é integro; e como resultado seu filho segue o seu modelo.
7. Meninos e meninas buscam um herói porque desejam se parecer com ele, imitam sua voz, imitam sua maneira de andar e vestir ou seja querem seguir o estilo de vida do herói.
8. Você quer ser este herói para seu filho a fim de prepará-lo para enfrentar uma sociedade desprovida de valores, de amor e de compaixão? Você quer ser o herói para que seu filho possa rejeitar as drogas e vencer sobre todas as outras pressões ditadas pela mídia e pelo grupo de amigos?
9. Comece essa tarefa de herói nos primeiros anos de vida de seu filho. Quanto mais cedo você se tornar o herói dele, tanto mais ele irá ouvi-lo e viver de acordo com os seus valores. O relacionamento que seu filho tiver com você, determinará a qualidade de vida que ele terá como adulto. Se você for o herói ele seguirá suas orientações e ensinamentos com amor e não com temor, por gratidão e não por culpa.Estabeleça um plano de ser o Pai Herói e para isso siga alguns passos básicos:
a) Aceitação incondicional - comunicar o seu amor de tal forma que seu filho perceba que, não importa o que ele faça ou diga, não importa o tamanho do fracasso, ele sempre será amado. Quando ele percebe a verdadeira aceitação do pai, ele sente segurança. Sabe que tem valor e que seu valor não é determinado pelo seu desempenho, mas apenas por ser o que realmente é, e que é amado por si mesmo. Alguns pais em alguns momentos oferecem aceitação baseada no desempenho (aceitação condicional) Isto gera insegurança e muitos problemas emocionais.
b) Apreciação – Se aceitação é o fundamento de um bom relacionamento com seu filho, a apreciação é a pedra angular. O fato de aceitar seu filho constrói a auto estima e o senso de segurança dele. A Apreciação acrescenta um sentimento de significado, faz surgir a idéia: Olhe eu sou importante. Meu pai gosta que eu fique perto dele. Ele tem orgulho de mim. Pratique apreciação elogiando, destacando mais os aspectos positivos do que os negativos. Isto não significa abandonar a disciplina quando for necessário. Mas, você prepara o caminho para a disciplina permitindo que a criança saiba que você realmente nota e aprova o que ele faz corretamente. Você pode corrigir os erros ou comportamentos negativos em um clima positivo.
c) Afeição – Parece que é desnecessário enfatizar que os pais devem ser afetuosos com os filhos. Lamentavelmente muitas crianças crescem sem afeição e as conseqüências são sentidas muitos anos depois. A Afeição que um pai pode oferecer a seu filho nunca é excessiva. Ele precisa ouvir e sentir seu afeto todos os dias. Você deve tocá-lo fisicamente, com muitos abraços e beijos. Verbalmente deve dizer que o ama. Mostrar afeição pelos filhos é o que dá a eles sentimento de ser dignos de amor, e essa sensação lhes fornece a confiança necessária para que estabeleça relacionamentos saudáveis com outros, fora do circulo familiar.
d) Disponibilidade de tempo - sabe o que seu filho sente quando você senta com ele para um bom papo, quando você brinca com ele? “meu pai me ama”.Hoje se fala muito que não importa a quantidade do tempo para passar com os filhos o que importa é a qualidade do tempo. Não resta dúvida que os dois são importantes para se ter filhos saudáveis emocionalmente.Na realidade , é através da quantidade de tempo que virão os momentos de qualidade. Você não se senta com o seu filho é diz : “Olá filho vamos passar dois minutos de qualidade juntos antes que eu vá para o trabalho”.
e) Responsabilidade- demonstrar e ensinar responsabilidade dá um senso de auto-controle. Quando você faz que seu filho preste conta do seus atos, eles ficam sabendo o que significa ser responsável.Demonstrar e ensinar responsabilidade na sua família fornece um meio perfeito para ser um herói - um bom modelo para seu filho. O herói não apenas faz com que seu filho preste contas e seja responsável pelo próprio comportamento, ele também está disposto a prestar contas ao filho. Sem um bom senso de responsabilidade o filho jamais terá a autodisciplina para lidar com autoridade. A palavra autoridade sugere liderança é isso que os pais são em suas casas. Ao invocar autoridade, o pai pode usar várias abordagens, como a autocrática e a relacional. O pai autocrático diz : “Estou no controle, ou você faz o que eu quero ou, já sabe!” Este tipo de pai vive pela letra da lei, tem de controlar e dominar. O pai relacional diz: “Quero o melhor para você, vamos analisar as alternativas que temos... É, acredito que esta é a melhor escolha”. O pai relacional é servo líder que guia, modela e estabelece exemplos com autoridade. O filho sabe que existe limites, mas também sabe que há liberdade para fazer boas escolhas dentro desses limites. A autoridade amorosa dá à criança um sentimento de autodeterminação, podendo fazer a escolha certa de como agir, dizer e fazer.
10. Talvez você possa estar pensando que não é fácil ser um Herói! Você não tem que ser um super pai se realmente desejar ser um herói para seu filho; você descobrirá que um herói é prático, fiel e motivado a desenvolver o seu melhor e verá também que um herói é humano, ele também erra, mas ele tem a humildade de reconhecer os seus erros e ir em busca de orientações inteligentes e sábias para ser um verdadeiro herói. O pai herói busca força e coragem no verdadeiro Pai Herói que é o nosso Criador e Salvador Jesus Cristo.
11.Um personagem bíblico se destaca por ter sido um ótimo pai. Como ser humano, teve muitos defeitos, mas ele marcou a vida de seu filho. Em sua vida, relatada nas Escrituras, encontramos três características de um Pai que marca positivamente a vida de seus filhos.
12. Falo de Abraão. Gênesis 17:5 – O seu nome já significava pai.

I - Abraão criou Isaque nos caminhos de Deus desde seu nascimento.
- Gên. 21:4: Abraão dedicou seu filho a Deus, reconhecendo ser ele um presente do Senhor.
O verdadeiro pai guia seu filho aos caminhos de Deus. Não se preocupa só em dar comida, estudo e boas roupas, mas também se preocupa em levá-lo à igreja, estudar a sua Bíblia e lhe ensina a orar.

Ilustração: Era uma vez um rapaz que não ia muito bem na escola. Suas notas e o comportamento eram uma decepção para seus pais que, como bons cristãos, sonhavam em vê-lo formado e bem sucedido.
Um belo dia, o bom pai lhe propôs um acordo: “Se você, meu filho, mudar o comportamento, se dedicar aos estudos e conseguir ser aprovado no vestibular para a Faculdade de Medicina, lhe darei então um carro de presente”.
Por causa do carro, o rapaz mudou da água para o vinho. Passou a estudar como nunca e a ter um comportamento exemplar. O pai estava feliz, mas tinha uma preocupação. Sabia que a mudança do rapaz não era fruto de uma conversão sincera, mas apenas do interesse em obter o automóvel. Isso era mau!
O rapaz seguia os estudos e aguardava o resultado de seus esforços. Assim, o grande dia chegou ! Fora aprovado para o curso de Medicina. Como havia prometido, o pai convidou a família e os amigos para uma festa de comemoração. O rapaz tinha por certo que na festa o pai lhe daria o automóvel.
Quando pediu a palavra, o pai elogiou o resultado obtido pelo filho e lhe passou às mãos uma caixa de presente, Crendo que ali estavam as chaves do carro, o rapaz abriu emocionado o pacote. Para sua surpresa era uma BÍBLIA. O rapaz ficou visivelmente decepcionado e nada disse.
A partir daquele dia, o silêncio e a distância separavam pai e filho. O jovem se sentia traído e, agora, lutava para ser independente. Deixou a casa dos pais e foi morar no Campus da Universidade. Raramente mandava notícias à família. O tempo passou, ele se formou conseguiu um emprego em um bom hospital e se esqueceu completamente do pai. Todas as tentativas do pai para reatar os laços foram em vão. Até que um dia o velho, muito triste com a situação, adoeceu e não resistiu. FALECEU...
No enterro, a mãe entregou ao filho, indiferente, a BÍBLIA que tinha sido o último presente do pai e que havia sido deixada para trás. De volta à sua casa, o rapaz, que nunca perdoara o pai, quando colocou o livro numa estante, notou que havia um envelope dentro dele. Ao abri-lo, encontrou uma carta e um cheque. A CARTA DIZIA:
"Meu querido filho, sei o quanto você deseja ter um carro Eu prometi e aqui está o cheque para que você escolha aquele que mais lhe agradar. No entanto, fiz questão de lhe dar um presente ainda melhor: A BÍBLIA SAGRADA. Nela aprenderás o AMOR A DEUS e a fazer o bem, não pelo prazer da recompensa, mas pela gratidão e pelo dever de consciência".
Corroído de remorso, o filho caiu em profundo pranto.

- Essa é a primeira característica do verdadeiro pai: criar seus filhos nos caminhos de Deus desde a infância. A segunda característica é:

II – Apesar de amar a Isaque, Abraão amava mais a Deus.

- Gên. 22:12: Um bom pai está disposto a sacrificar o próprio filho se essa for a vontade de Deus.
Aqui Isaque se mostra também um filho que amava mais a Deus do que a seu pai. Isaque demonstrou fé. Ele poderia ter corrido, questionado se era aquela mesmo a vontade de Deus, mas não agiu assim.
Não espere ser um excelente pai se você não é um excelente filho; e não espere ter um excelente filho, se você não é um excelente pai.

É impossível amar a Deus e não ser um excelente pai!
- Um bom pai também tem fé absoluta em Deus. Heb. 11:19 diz que Abraão “considerou que Deus era poderoso até para ressuscitá-lo dentre os mortos”.

Além de educar seus filhos nos caminhos do Senhor, de amar mais a Deus que o próprio filho, ainda há mais uma característica de um ótimo pai:

III – Um bom pai se preocupa com o bem estar futuro de seu filho, até com sua vida emocional ou familiar.

- Gên. 24:2-4: Além de ter preparado uma boa base financeira para o filho, Abraão se preocupou com a vida familiar de Isaque.
Isso não quer dizer que hoje os pais devem escolher esposos ou esposas para os filhos, mas orientá-los, segundo a vontade de Deus, a fazê-lo.
-Abraão não queria uma esposa não cristã para seu filho, e Isaque sempre foi orientado nesse sentido.
- Note que é necessário que o filho também seja temente a Deus. Isaque novamente mostra que é um bom filho, respeitando a vontade de seu pai, e principalmente, a vontade de Deus.

Conclusão: I João 3:1 diz “Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos chamados filhos de Deus.”
Deus é o nosso verdadeiro Pai. Só Ele pode ajudar você, papai, a ser o pai que deseja.
Deus é o pai que nos perdoa e nos ama, que nos dá várias chances de acertamos.
- Talvez esteja falando para um pai que se sente frustrado. Não teve um bom exemplo de seu pai e hoje não consegue ser diferente.
- O trabalho, as viagens e correrias o fizeram um pai ausente. Não sobra tempo para soltar pipa, pescar, jogar bolinha de gude, brincar de casinha com a princesinha. Hoje o Pai celeste te dá uma nova chance, Ele não desiste de você.


Ilustração: Havia um homem muito rico, possuía muitos bens, uma grande fazenda, muito gado e vários empregados.Tinha ele um único filho, que, ao contrário do pai, não gostava de trabalho nem de compromissos. O que ele mais gostava era de festas, estar com seus amigos e de ser bajulado por eles.Seu pai sempre o advertia que seus amigos só estavam ao seu lado enquanto ele tivesse o que lhes oferecer, depois o abandonariam.Os insistentes conselhos do pai lhe retiniam os ouvidos e logo se ausentava sem dar o mínimo de atenção.Um dia o velho pai, já avançado na idade, disse aos seus empregados para construírem um pequeno celeiro e dentro do celeiro ele mesmo fez uma forca, e junto a ela, uma placa com os dizeres:"Para você nunca mais desprezar as palavras de seu pai ".Mais tarde chamou o filho, o levou até o celeiro e disse:- “Meu filho, eu já estou velho e quando eu partir, você tomará conta de tudo o que é meu, e sei qual será o seu futuro: Você vai deixar a fazenda nas mãos dos empregados e irá gastar todo dinheiro com seus amigos, irá vender os animais e os bens para se sustentar, e quando não tiver mais dinheiro, seus amigos vão se afastar.E quando você não tiver mais nada, vai se arrepender amargamente de não ter me dado ouvidos.É por isso que eu construí esta forca; sim, ela é para você, e quero que me prometa que se acontecer o que eu disse, você se enforcará nela.”
O jovem riu, achou absurdo, mas, para não contrariar o pai, prometeu e pensou que jamais isso pudesse ocorrer.O tempo passou, o pai morreu e seu filho tomou conta de tudo, mas assim como se havia previsto, o jovem gastou tudo, vendeu os bens, perdeu os amigos e a própria dignidade.Desesperado e aflito, começou a refletir sobre a sua vida e viu que havia sido um tolo, lembrou-se do pai e começou a chorar e dizer:- Ah, meu pai, se eu tivesse ouvido os teus conselhos, mas agora é tarde, é tarde demais.Pesaroso, o jovem levantou os olhos e longe avistou o pequeno celeiro, era a única coisa que lhe restava. A passos lentos se dirigiu ate lá e, entrando, viu a forca e a placa empoeirada e disse:- Eu nunca segui as palavras do meu pai, não pude alegrá-lo quando estava vivo, mas pelo menos esta vez vou fazer a vontade dele, vou cumprir minha promessa, não me resta mais nada.Então subiu nos degraus e colocou a corda no pescoço e disse:- Ah! se eu tivesse uma nova chance ...E pulou. Sentiu então por um instante a corda apertar sua garganta, mas o braço da forca era oco e quebrou-se facilmente, o rapaz caiu no chão, e sobre ele caíram jóias, esmeraldas, pérolas, diamantes, e um bilhete que dizia:“Essa é a sua nova chance. Eu te Amo muito. Seu Pai.”
Isso é o que faz nosso maravilhoso Pai: Deus Sempre nos dá uma segunda chance! Ele pode fazer de você o pai que precisa ser para o seu filho. Fale com Ele sobre isso, e...
Feliz Dia dos Pais!

assine o feed

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Créditos

100% Adventista

Site melhor visualizado no Google Chrome ou no Mozilla Firefox,
Desenvolvido por Bruno, membro da IASD Central do Rio de Janeiro.

Autores:

Clayson Albino

Daniel Santos

Editor Geral:

Bruno Vieira

Todos os Direitos Reservados © 2008 - 2013

Área Restrita

Usuário:
@comunidadeadventista.com
Senha:
Não consegue acessar a sua conta?

  © Comunidade Adventista - 2008 - 2013 | Desenvolvido por Bruno Vieira