Comentário da Lição - Lição 03 - Gilson Nery

Lição 03. Segundo trimestre. 11 / 04 a 18 / 04 / 009
Comentários de Gilson Nery
Esc. Sabatina.

E s p e r a n ç a

Aguardar por longo tempo, a bem-aventurada esperança do aparecimento do Grande Deus e Salvador Jesus Cristo, significa possuir uma esperança demorada que fortalece os nossos corações, é o inverso de Prv. 13:12, que diz: “A esperança demorada enfraquece o coração;”e, isso é assim porque a fé é o firme fundamento desta esperança, e esta fé genuína, quanto mais tempo cultivada, mais forte se torna e, quanto mais forte esta fé se torna, mais forte, também, fica o coração do nosso corpo e da nossa alma e espírito. A Bíblia fala da fortaleza dos presos de esperança ( Zac. 9:12 ) e, apela para que estejamos nesta fortaleza, e a Bíblia, também, nos diz que Deus é o nosso Refugio e Fortaleza ( Sl.46:1 ), Esconderijo do Altíssimo ( Sl. 91:1 ), e, que, em Seu nome encontraremos o Castelo Forte e Abrigo de segurança máxima para todos. Prv. 18:10;Sl. 31:2. Nós somos os presos de esperança de Zac. 9:12, mas, apesar de presos pelas circunstâncias, o nosso ser vibra com esta esperança porque habitamos no esconderijo do Altíssimo, o nosso Refugio, Fortaleza e o nosso Castelo Forte e Todo Poderoso, e, nenhuma esperança, por mais demorada que seja, pode enfraquecer o coração dos que estão abrigados Neste Castelo Forte e Todo Poderoso, e , isto, também, é assim porque esta bendita esperança quando cultivada a partir deste Esconderijo do Altíssimo, nos purifica e transforma as nossas fraquezas em forças e, assim sendo, quanto mais tempo esperamos mais fortes e mais puros seremos. Se estamos ficando fracos na fé pela demora do cumprimento da promessa, é porque não estamos esperando abrigados Neste Castelo Forte e esconderijo do Altíssimo, e, é por isto que em Zac. 9:12, existe o apelo divino: Voltai à Fortaleza, ó presos de esperança.” Nós temos diante de nós uma eternidade para vivermos nela e, não vai ser uma insignificância de alguns 100, 500 ou 2000 anos ou mais, que na proporção da eternidade, significam apenas alguns segundos de tempo, que vai enfraquecer o nosso coração e a nossa fé, desde que estejamos habitando, desde já, agora e sempre, no esconderijo do Altíssimo o nosso Castelo Forte e Fortaleza Eterna. Esta, portanto, é a nossa esperança “demorada” que fortalece os nossos corações e a nossa fé.

Verso para memorizar: Estar preparados para responder sobre a razão da nossa fé e esperança, não significa apenas possuir um conhecimento teórico da verdade, mas sim, possuir um conhecimento Pessoal com a Verdade Personificada que é Jesus Cristo, na Pessoa do Seu Substituto e representante único aqui na terra, ou seja, o Espírito Santo; o aspecto teórico da verdade é muito importante, mas, sem este relacionamento pessoal, nossas respostas aos que pedem a razão da nossa esperança, são como o metal que soa e o sino que retine; note: metal destemperado e sino trincado, ou rachado, e sem a dosagem de ouro suficiente para um som de qualidade.
Somente a todo aquele que pede a razão da nossa esperança? Não somente aos que pedem, mas, também, aos que não pedem, devemos estimular perguntas com o nosso testemunho pessoal perante a sociedade, a nossa vida precisa ser um convite permanente a todos que nos cercam para que se interessem pela razão da nossa esperança. Comp.c/ II Tim. 4:2.

Parte de domingo. Esperança neste mundo.
Perg. 01 – Note: homens desmaiando de terror do nosso texto, também, pode significar terrorismo praticado no mundo. As Nações estão angustiadas porque não tem paz, e, não tem paz porque não permitiram ainda que o Príncipe da paz ocupe o trono dos seus corações, alguns abriram a porta dos seus corações a Este Príncipe, mas não permitiram ainda, que Ele ocupe o trono, até permitiram que Ele ocupe a sala deste trono, mas não o trono; vivemos no mundo da desesperança e do desespero, mas, em meio a este caos, podemos ter esperança no Autor e Consumador desta esperança e fé, quando esta esperança e fé está fundamentada Neste Fundamento Vivo, seremos inabaláveis. Rom. 8:33-39, nada, nem mesmo as demoras, nos desanimarão, porque esta não nos separará do amor de Cristo nunca. Cristo é a nossa Esperança Personificada, Ele é a nossa certeza de fé, Ele é o Fundamento da nossa fé e esperança enquanto estivermos neste deserto caminhando em demanda da Cidade Eterna, Ele é o Alfa e o Ômega, o Principio e o Fim da nossa esperança e da nossa fé, sem Ele nada do que foi feito se fez ou se fará em se tratando de esperança, fé e certezas, com Ele, a esperança, a fé e a certeza são realidades vivas em todas as áreas da vida.
Perg. 02 – Uma expiação no sentido de preço pago, foi realizada no passado, na Cruz de Cristo, outra espécie de expiação está em curso, agora em Seu Santuário Celestial e, uma espécie de redenção ainda deverá ser realizada no futuro em Sua vinda nas nuvens do Céu, esta é a redenção próxima mencionada neste texto, por Jesus, em meio ao tumulto e o terror do mundo, esta é a luz no fim do túnel e que projeta luz, também, em todo o percurso deste túnel.

Parte de segunda feira. Esperança aqui e agora.

A Luz no túnel do cristão não está limitada apenas no fim deste, esta Luz acompanha o cristão durante todo o seu percurso, Cristo é a Luz deste túnel, desde o seu inicio até o seu fim.
Perg. 03 – Passar da morte para a vida eterna aqui e agora; embora muitos tenham que passar por um breve cochilo nesta vida eterna aqui e agora.
Perg. 04 – Vida abundante, isto é, muitos anos de vida ( com exceções )e muita vida nestes anos, viver intensamente o presente, se possível, em todos os aspectos desta vida; na proporção da eternidade, esta vida presente é menos que alguns segundos, e, portanto, é mais que compensador, viver estes segundos à Luz da presença Daquele que é a Luz do mundo.

Parte de terça feira. Esperança além da sepultura.

Perg. 05 – A nossa viva esperança é que, muito em breve a morte será, eliminada do meio povo de Deus, para toda a eternidade e, em algum tempo, mais tarde, de todos os recantos do Universo, nenhum vestígio haverá deste inimigo que tanto nos fez sofrer e nos angustiou aqui em nossa jornada por este deserto; seremos imortais e incorruptíveis em todos os aspectos da vida. O primeiro Adão nos transmitiu morte e corrupção, o Segundo Adão, Jesus Cristo, nos trouxe vida abundante e eterna e incorruptibilidade absoluta.
Perg. 06 – Na realidade verdadeira, a quase totalidade dos cristãos e não cristãos, não crêem na ressurreição dos mortos, pregam esta verdade, mas negam a sua realidade, quando afirmam que na morte os crentes, ou o espírito ( suposta entidade pessoal que sai do homem na morte ), vai para o paraíso, e, os espíritos dos descrentes, vão para o inferno ou purgatório, e, nestes casos, para que a ressurreição do corpo, nos final dos tempos? Para os salvos seria uma brincadeira do mais péssimo gosto, ter que voltar a ser um ser carnal depois de já ter passado por esta triste experiência; para os “infernados” do suposto inferno, seria uma forma de infernar mais ainda as suas vidas de sofrimento eterno, já estariam queimando como espíritos, ou almas, agora vão queimar um pouco como pessoas físicas, para que isto? Para os “purgatorianos,” para que voltar a serem mudados do estado de espíritos para o estado de pessoas físicas, para sentirem mais a dor das queimaduras do fogo purgatoriano? Por que já não teriam ido direto para o fogo em carne e ossos, este último processo não aceleraria os processos de purificação visto que sentiriam mais dor do que em seu estado de espíritos? Existe, também, a classe que ensina que os ressuscitados não serão, propriamente dito, ressuscitados, mas sim substituídos por outras pessoas, ou seja, outros seres criados para substituírem aqueles que morreram e, neste caso, não passarão por uma ressurreição, mas sim, por uma substituição de corpos criados para substituírem estas pessoas, isto teria que ser assim, porque ressuscitar alguém é trazer de volta a mesma pessoa que morreu e, não criar outra pessoa.
Ressurreição ou criação de novos seres humanos ?

A inspiração nos informa que trata-se de ressurreição do corpo, ou da pessoa que morreu e não de outra pessoa. Deus fez, manualmente, as 60 trilhões de células do nosso corpo em apenas 24 horas, usando o pó da terra, criado por Ele mesmo; estas 60 trilhões de células voltam ao pó, como era antes, por ocasião da morte e, na ressurreição, Deus nos disse que vai trazer o Seu povo do pó da terra, para onde foram por ocasião do seu sepultamento. Ver Isa. 26:19; em Ezequiel 37:12-13, Deus nos diz que abrirá as sepulturas do Seu povo e, o fará sair delas; Daniel em seu livro, nos informa que, os que dorme no pó da terra ressurgirão ( Dan. 12:2 ), e Jesus Cristo confirma esta doutrina dizendo: “...Os que estão nos sepulcros...sairão, ( João 5:28 ), sairão da onde? Dos sepulcros, é claríssimo; Jô, falando de sua futura ressurreição, nos diz: “Eu sei que o meu Redentor vive, e, consumida a minha pele, EM MINHA CARNE verei a Deus; Vê-lo-ei POR MIM MESMO COM OS MEUS PRÓPRIOS OLHOS, EU E NÃO OUTROS... .” Jô 19:25-27. As substâncias materiais e as 60 trilhões de células, não serão as mesmas, mas apenas em um sentido de não serem estes elementos em seu estado contaminados pela contaminação do pecado, mas, será que o Criador destas 60 trilhões de células do nosso corpo, não é tão Poderoso para reuni-las, purificá-las e recriar, com elas, o mesmo ser anterior? Afinal, haverá transformação do que é corruptível ou não? A Bíblia é clara em afirmar que haverá transformação e não substituição, daquilo que é corruptível para incorruptível, disso que é mortal para imortal e não substituição. I Cor. 15:53-54. Note estas declarações da Palavra de Deus: ISTO QUE É CORRUPTIVEL, ISTO QUE É MORTAL, ETC. Em Ezequiel 37, vemos que os ossos se juntaram cada osso ao seu osso ( V. 07) e que estes ossos estavam sequíssimos indicando serem os mesmos ossos e não outros e, o mesmo texto menciona as sepulturas do povo de Deus. ( Vs. 12-13; é verdade que estes textos tem, em parte, um sentido figurado, mas são figuras que indicam, também, a ressurreição dos mortos no final dos tempos ensinada em toda a Bíblia Sagrada.

Parte de quarta feira. Esperança eterna.

Perg. 07 – Diferença ou contraste? Não existirá um átomo sequer, ou partes dele, contaminado; as semelhanças consistem em que o mundo novo será a restauração do Paraíso original anterior à história do pecado, e, seremos pessoas, também, restauradas, transformadas, reformadas e revestidas de imortalidade e incorruptibilidade e, não outras pessoas, ou outros corpos, teremos outros corpos, mas apenas no sentido em que haverá uma transformação DESTE corpo abatido para ser um corpo glorioso; note bem: transformação do que é corruptível para incorruptível, do que é mortal para imortal, mas será este corpo e não outro. Ver, Fil. 3:20-21;ICor. 15:53-54, Al.At. Note: ESTE CORPO; ISTO QUE É MORTAL;ISTO QUE É CORRUPTIVEL. ETC.
Nota: Não apenas na forma e aparência! Não, absolutamente não!

Parte de quinta feira. Cristo, nossa esperança

O Cristo Pessoal, Atual e presente ocupando o trono dos nossos corações, é a esperança que, embora demorada, em seus aspectos escatológicos, fortalece os nossos corações.
Perg. 08 – Existe uma bem-aventurança em aguardar a vinda de Cristo nas nuvens do céu, esta esperança e este aguardo precisa vibrar o nosso ser e, assim teremos muito mais vida em nossa vida atual, até mesmo a nossa velhice será uma velhice vibrante, e, naquele dia, diremos: Este é o nosso Deus A Quem aguardávamos.” Isa. 25:9. Este é o auge da nossa esperança, como é possível está estressado vibrando? O estressado não vibra e quem vibra não pode sofrer de estresse. Quem possui, verdadeiramente, esta esperança, vibra. Comp.c/ I João 3:3.
Perg. 09 – Note o seguinte: Existem sinais em todos os tempos da história humana, mas, existiriam sinais específicos e característicos do último tempo do fim; por exemplo: Nós estamos vivendo no período da sétima igreja, do sexto selo e da sétima trombeta e, existiram apenas duas guerras mundiais em nossa história e, um desenvolvimento científico e tecnológico sem precedente em nossa história, sem falar aumento sem igual do conhecimento das profecias de Daniel. Dan. 12:4. Estes são apenas um resumo desta matéria.
Pág. 35, em resps sugestivas, perg. 09. Note, Deus fala em nossa linguagem e em nosso tempo e não em Sua linguagem e em Seu tempo.
Pág. 36, em esboço do aprendizado, item III; a melhor resposta a esta pergunta é I João 3:3.


Que a esperança demorada, mesmo que demore muito, faça vibrar o nosso ser e fortaleça mais e mais o nossos corações e a nossa fé. Amém!

Por Gilson Nery B. Costa. Espírito Santo do Pinhal.
E-mail gilnery@uol.com.br Tel.19-3651-1987.
Estado de S. Paulo.Brasil.

Classe Universitários
www.oestadio.com/escola.shtml

assine o feed

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Créditos

100% Adventista

Site melhor visualizado no Google Chrome ou no Mozilla Firefox,
Desenvolvido por Bruno, membro da IASD Central do Rio de Janeiro.

Autores:

Clayson Albino

Daniel Santos

Editor Geral:

Bruno Vieira

Todos os Direitos Reservados © 2008 - 2013

Área Restrita

Usuário:
@comunidadeadventista.com
Senha:
Não consegue acessar a sua conta?

  © Comunidade Adventista - 2008 - 2013 | Desenvolvido por Bruno Vieira