Comentário da Lição - Lição 06 - Gilson Nery

Lição 06. Terceiro trimestre. 01 a 08 / 08 / 009
Comentários de Gilson Nery
Esc. Sabatina.

Andando na luz – Rejeitando os anticristos

A Bíblia identifica o anticristo angélico, os anticristos angélicos, o anticristo humano, e, os anticristos humanos; pela ordem:
1 – O anticristo angélico. Apc. 12:3-4.
2 – Os anticristos angélicos. Apc. 12:7, últ. parte; II Pd. 2:4.
3 – O anticristo humano. II Tes. 2:3-4;Dan. 7:25.
4 – Os anticristos humanos. I João 2:18-19.

A história do anticristo angélico e dos anticristos angélicos, se iniciou nas regiões Celestiais ( Ef. 6:12 ), e, mais especificamente, no Santuário Celestial, quando a terça parte dos anjos se tornou subversiva e oposta a Deus e, naturalmente, estes se tornaram, também, anticristos, liderados pelo seu líder, o anticristo original; Toda a problemática consistia em não aceitar que o Filho de Deus tivesse a primazia jurisdicional no mesmo pé de igualdade que possui o Pai Celestial, e, esta mesma questão teve continuidade através da história do Universo e particularmente, do nosso planeta terra; em Judas 4, lemos a respeito de homens ímpios que negavam, ou negam o nosso Único Soberano e Senhor Jesus, Jesus Cristo, o Qual, segundo João 5:20, “é o Verdadeiro Deus e a Vida Eterna.”

O anticristo humano da escatologia profética da Bíblia: Para descrevê-lo em poucas palavras, basta associar Dan. 7:25 com II Tes. 2:3-4 e, observar que existe apenas uma maneira de se pretender colocar-se acima de Deus e ter mais autoridade do que Deus, segundo o teor II Tes. 2:3-4, e, esta é: a pretensão atrevida e blasfema de alterar ou mudar as leis do Altíssimo e, neste particular, o anticristo humano, teve esta pretensão absurda, que eu considero cúmulo dos cúmulos de todos os atrevimentos, e, neste aspecto, este anticristo humano, pretendeu uma posição mais atrevida e blasfema do que a de Lúcifer no princípio, pois, pelo menos ele pretendeu “apenas” ser igual a Deus, ou semelhante ao Altíssimo, ( Isa. 14:12-14 ), legislando suas próprias leis e, segundo evidências da revelação, Este Altíssimo mencionado neste texto, é referente a Pessoa do Filho de Deus, ou seja, o Deus Unigênito o Qual nunca foi reconhecido por Lúcifer como tendo os mesmos direitos a adoração, por parte dos anjos, que o Pai Celeste sempre teve, embora, Deus tenha declarado a todos os anjos que adorassem Este Deus Filho. Ver Heb. 1:6. As evidências indicam que João em suas epístolas não está focalizando o anticristo escatológico das profecias de Dan 7 e II Tes. 2, mas sim, o anticristo e os anticristos que negavam integração total da Divindade e humanidade do Messias em Sua encarnação, durante a Sua vivência na terra, na Sua morte, ressurreição e em Seu ministério Sacerdotal no Santuário Celestial. Como aplicar as especificações sobre o anticristo e os anticristos apresentados por João em suas epístolas, ao anticristo escatológico das profecias de Daniel 7 e Tess. 2, se este, não nega que Cristo tenha vindo em carne? É preciso está ciente que a entidade que identificamos como sendo o anticristo da escatologia profética da Bíblia destas, professa de forma peremptória, que Cristo veio em carne e que continuará Humano eternamente? Veja Catecismo do Concilio Vaticano II – Papa João Paulo II, págs. 106,117.

O anticristo e os anticristos da época de João eram aqueles que negavam a humanidade de Cristo alegando que a carne é má e que o espírito é bom e que, não pode haver comunhão entre o bem e o mal, por este motivo não seria possível admitir uma encarnação conforme pregavam os apóstolos de Cristo. Hoje, temos em nosso meio, “anticristos” que pregam a humanidade de Cristo e afirmam peremptoriamente, que Cristo veio em carne, mas que negam a Sua divindade inerente juntamente e igualmente com o Pai Celestial; se João vivessem hoje, ele escreveria sobre estes classificando-os de anticristos que negam a divindade de Cristo e, diria: Todo aquele que nega que Cristo é Deus e igual a Deus, que não deixou de ser Deus ao encarnar, é um anticristo. O que podemos observar é que, no início do grande conflito dos séculos ocorrido entre os anjos no Céu, toda a problemática levantada era a respeito da Pessoa do Deus Unigênito, o Filho de Deus e que, esta questão teve a sua continuidade através da história do Universo e que continua aqui em nosso planeta, lá, como aqui, as questões eram a respeito da divindade inerente de Cristo e que, como vimos, Deus o Pai Celeste teve que intervir fazendo uma Eloqüente declaração Universal declarando Oficialmente, não somente que o Filho é Deus, mas, também, que Ele deve ser adorado por todos os anjos, Veja Heb. 1:5-8, declaração esta que deveria por fim a toda a discussão sobre este importante assunto e questão, mas que, infelizmente, não foi aceita pelos anticristos da história passada nem pelos anticristos contemporâneos. Oxalá os sinceros aceitem o Testemunho do Próprio Pai Celestial sobre o Deus Unigênito, Jesus Cristo. Amém!

Verso para memorizar: Seja qual for o aspecto que o Filho de Deus seja negado, e, seja por quem quer que seja, pessoas em particulares ou instituições, estas pessoas ou instituições, não tem o Pai Celestial; Cristo não é negado apenas quando não confessado que tenha vindo em carne, Ele é negado, também, por exemplos: Quando se prega que em Sua encarnação, tenha perdido alguns de Seus atributos de Sua divindade; é negado quando se prega que ao morrer na Cruz, tenha “desencarnado,” em um processo inverso da encarnação, e que apenas o Elemento Humano tenha morrido e que a Pessoa de Deus não tenha morrido; Ele é negado quando se prega que na Sua ressurreição, tenha ocorrido uma espécie de reencarnação do Verbo, isto é, Este Verbo que não teria morrido, teria voltado ao Seu Corpo morto e O teria ressuscitado, tornando assim, o sacrifício do Deus Unigênito, uma sacrifício apenas Humano e que é “pior,”uma encenação fraudulenta da pior espécie; Ele, também é negado, quando o Seu ministério Sacerdotal e Sumo Sacerdotal no santuário Celestial, é transferido para o ministério de “sacerdotes” da igreja e do pretenso “sumo pontífice ou sumo sacerdote” do Vaticano e, também, quando o Seu Santuário Celestial é, pretensamente, substituído por este Santuário do Estado do Vaticano em Roma; Ele também é negado, quando descentralizamos o Seu ministério intercessor, fazendo grandes alardes e estrondos sobre intercessores dos membros da igreja, eclipsando assim, o Seu ministério como O Único Intercessor e Mediador entre Deus e a humanidade, eclipsando, também, o ministério intercessor da Pessoa do Espírito Santo entre Jesus Cristo e o ser humano; Por todas estas formas e maneiras, é possível negar o Filho de Deus e, não apenas, negando que Ele tenha vindo em carne; apenas confessar que Cristo tenha vindo em Carne, não prova que uma pessoa ou instituição não sejam o anticristo e os anticristos. João, em suas epístolas, apenas mencionou o negar que Cristo tenha vindo em carne como meio de identificação de anticristos, porque era o ponto alto das heresias da sua época, mas, como vimos acima, existem varias formas e maneiras de se negar o Deus Unigênito, o Filho de Deus.

A Besta do mar, uma imitação de Cristo, ou imitação do Dragão? Apc. 13:1-2.

Parte de domingo. A “última hora.” ( I João 2:18 ).

Esta última hora mencionada por João, se iniciou pelos idos da década de 60 d.C., particularmente, o ano 66 no inicio do cerco de Jerusalém pelos soldados romanos, sua destruição no ano 70 e próximo ao fim do primeiro século da nossa era cristã, nos últimos dias da vida de João entre o reinado do imperador romano Nerva e Trajano por volta do ano 96 e 98 d.C., conforme anunciado por Jesus Cristo em Seu discurso profético registrado por Lucas em seu Evangelho; 21:20. Acredito que João tenha considerado toda a década de 60, d.C., e alguns anos depois, a última hora quando a expectativa cristão era a de que Cristo voltaria segundo a Sua promessa a Sua igreja. Comp.c/ II Tes. 2:1-3. Em uma escatologia profética com base no limite máximo da misericórdia e paciência divina e da plenitude do tempo para o retorno de Cristo a terra, esta “última hora” não pode ser considerado o período de 2.000 anos, aproximadamente, já decorridos entre o primeiro século e a nossa época, porque dentro deste espaço de tempo diversas profecias que apontaram para o tempo do fim, ainda não tinham se cumprido; o sinal profético como marco de uma seria de sinais em sucessão cronológica que apontaria para o inicio do último tempo do fim, ( última hora )ocorreu no ano 1755 d.C., segundo Apc. 6:12, e, sinais subseqüentes identificariam o tempo do fim, propriamente dito, pode ser considerado o ano 1798 d.C., quando terminou o período profético de Apc. 12:6,14;13:5 e, o conhecimento ou ciência teológica das profecias de Daniel se multiplicaram assim como a ciência tecnológica teve a sua enxurrada de maravilhas no mundo como nunca dantes na história da humanidade. Confirmando este posicionamento, o período profético de Dan. 8:14, nos leva até dentro do tempo do fim, em 1844, 46 anos depois do inicio desta série cronológica de sinais a partir de 1755 d.C. pelo grande terremoto de Lisboa; portanto, este período entre os anos de 1755,1778, até a vinda de Cristo, terá que ser o legítimo tempo do fim e, no fim deste tempo do fim, é que deve ser colocada a última hora da escatologia profética referente a segunda vinda de Cristo e não antes. A conjunção Dan. 12:7 com Apc. 10:5-7, é clara em confirmar este posicionamento, assim como Apc. 14:6-7 que menciona até mesmo a “hora do Seu juízo.” Convém não esquecer que esta hora do Seu juízo nunca foi pregada antes do ano de 1844, como um juízo presente e já em andamento no Tribunal divino no Céu.

Parte de segunda feira. A vinda dos anticristos. ( I João 2:18,19,22,23 ).

Perg. 2 e 3 – Ver introdução deste comentário.

Parte de terça feira. Provando os espíritos. ( I João 4:1-5 ).

Perg. 04 – Não eram dos nossos. O batismo em massa de pessoas não preparadas para este sacramento, está contribuindo para que a igreja se encha de membros que nunca foram dos nossos e, que, ao estarem em nosso meio como membros regulares, tomando decisões em nossas comissões de igreja, enfraquecem a igreja e, que, ao saírem de nosso meio, deixam o seu veneno no arraial do Israel espiritual de Deus.
Perg. 05 – A esperança que podemos tirar das advertências de João, é que existe, pelo poder de Cristo, a possibilidade de vitória sobre todos os anticristos e sobre o anticristo e em todos os seus ataques e subtilezas; ninguém e nem nada pode abalar aquele que se encontra com os seus pés firmados sobre a Rocha dos Séculos, o Senhor Jesus Cristo.

Parte de quarta feira. A unção ( I João 2:20,21,27 ).

Perg. 06 – O Espírito Santo é um Ser Pessoal e não uma unção. Unção é um verbo, o verbo ungir, e não uma Pessoa, o Espírito Santo não é um Verbo mas sim, uma Pessoa. É o Espírito Santo que nos unge e nos sela para a salvação eterna. Ef. 1:13.

Parte de quinta feira. Permanecendo nEle.

Perg. 07 – Em “Quem;” “O que;” “Porque;” Etc. Note estes conceitos: Sua Palavra; Em “Mim;” “Meu ensino;” “Na Palavra; “No Seu amor” “Vitória; “Perseverança na doutrina de Cristo.” Etc. É impossível permanecer em Cristo sem se alimentar de Sua Palavra e sem um relacionamento íntimo com o Seu Espírito Santo.
Perg. 08 – O cristão genuíno amaria a Deus seu Senhor e O serviria, mesmo que não houvessem estas promessas!

Pág. 75, em conhecendo os anticristos. Como podemos estar certos de que interpretamos a Bíblia Sagrada corretamente? Desde que toda interpretação esteja rigorosamente, sincronizada e alinhada em seus contextos imediatos e contextos gerais da própria Bíblia Sagrada em todos os assuntos fundamentais e vitais de fé e crença, podemos estar certos que estamos interpretando corretamente o Livro Sagrado.
Item C. Permitindo que Ele habite em nós.
Pág. 76 – A tática mais usual e mais sutil de um lobo, é quando ele fica travestido de pele de ovelhas e procura se infiltrar entre o rebanho de ovelhas, e, é por isso que devemos está vigilantes para não admitir em nosso meio, pessoas que ainda não deram os devidos frutos de um comportamento de ovelhas.


Que possamos, pelo poder do Espírito Santo, estar com os nossos olhos da fé sempre ungidos com o colírio Deste Oftalmologista divino, para que possamos sempre distinguir e identificar os anticristos e o anticristo, por mais disfarçados e mascarados que estejam. Amém!



Por Gilson Nery B. Costa. Espírito Santo do Pinhal.
E-mail gilnery@uol.com.br Tel.19-3651-1987.
Estado de S. Paulo.Brasil.

Classe Universitários
www.oestadio.com/escola.shtml

assine o feed

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Créditos

100% Adventista

Site melhor visualizado no Google Chrome ou no Mozilla Firefox,
Desenvolvido por Bruno, membro da IASD Central do Rio de Janeiro.

Autores:

Clayson Albino

Daniel Santos

Editor Geral:

Bruno Vieira

Todos os Direitos Reservados © 2008 - 2013

Área Restrita

Usuário:
@comunidadeadventista.com
Senha:
Não consegue acessar a sua conta?

  © Comunidade Adventista - 2008 - 2013 | Desenvolvido por Bruno Vieira