Comentário da Lição - Lição 10 - Gilson Nery

Lição 10. Terceiro trimestre. 29/08 a 05/09/09
Comentários de Gilson Nery
Esc. Sabatina.

C o n f i a n ç a

“Assim diz o Senhor Deus, o Santo de Israel: Em vos converterdes e em repousardes está a vossa salvação, no sossego e na confiança, está a vossa força, mas não quisestes.” Isa. 3):15. “Confiai-Lhe todas as vossas preocupações, porque Ele tem cuidado de voz.” I Pd. 5:7. Trad. dos Monges Beneditinos.
Devemos aprender a trabalhar, em todos os aspectos da vida, em sociedade com Deus, a nossa parte nesta sociedade, são as “ocupações,” a parte do Sócio divino, são as “pré-“ “ocupações,” ou seja, todas as nossas preocupações. Fazendo-se uma pequena alteração na palavra preocupação, isto é, colocando-se entre a primeira sílaba e as seguintes, um hífen tendo-se assim a palavra, “pré-ocupação,” para se conseguir definir, neste caso e neste comentário, as partes nesta sociedade entre Deus e o homem, definindo assim as funções de cada Sócio, ou seja, a “Pré,” parte do Sócio divino, e, a ocupação, parte do sócio humano; assim sendo, teremos a seguinte filosofia de vida: Nós fazemos todo o trabalho, tudo o que está ao nosso alcance para resolver problemas, sejam eles quais forem, se, ao fim de um dia de trabalho, por exemplo, nada tiver sido resolvido, não devemos tentar fazer a parte do Sócio divino arcando com a “pré,” das nossas ocupações; o departamento da empresa que está encarregado desta espécie de problemas, se encontra na Sala do Trono do Altíssimo, conforme I Pd. 5:7 citado acima; não existe nenhuma terapia tão eficaz contra o stress, ansiedades e angustias da humanidade; muitas vezes nós nem sequer resolvemos ou damos conta da nossa parte na sociedade e, desafortunadamente, tentamos fazer a parte do Sócio divino, note: a nossa parte nesta sociedade é a ocupação e nunca, a “pré-ocupação,” esta é a parte do Sócio divino, em outras palavras, nós trabalhamos e Deus Se preocupa por nós. É verdade que existe a classe do nenhum trabalho, isto é, os que não se preocupam com nada e nem se ocupam com nada, esperando que o Sócio Se preocupe e Se ocupe por eles, estes estão no outro extremo da questão, são os sócios presunçosos desta sociedade e, naturalmente, irão a falência espiritual em suas vidas, porque o Sócio divino não irá fazer a parte para a qual Ele já lhe concedeu possibilidades para que opere nesta empresa, este são os maus sócios desta empresa que na persistência nesta direção, perderão os seus lugares nesta sociedade e certamente cairão da graça do Sócio e cairão em desgraça e, assim sendo, desgraçados, miseráveis, pobres cegos e nus. QUE ASSIM NÃO SEJA! = DESAMÉM!

Parte de domingo. Tendo confiança. ( I João 5:13-21 ).

Perg. 01:

1 – Fatos escritos por inspiração divina a respeito da vida de Cristo, por testemunhas oculares.
2 – Conscientização de saber que Cristo nos ouve.
3 – Que somos guardados por Deus.
4 – Saber que somos de Deus e pertencemos a Ele.
5 – Saber que estamos Nele e que Ele está em nós.
Nota da pergunta 01, última parte; o texto diz: “Os cristãos tem confiança no que se refere ao seu relacionamento com Deus, sua vida de oração e sua condição presente e destino no futuro.” Note o seguinte: O ideal e o mais seguro é: Ter confiança no relacionamento de Deus conosco, na vida de oração de Cristo e Sua condição presente como nosso Sumo Sacerdote e a esperança de que Ele virá nos buscar para nos levar para as Mansões eternas. Precisamos sempre focalizar os feitos de Deus em nós e por nós para que haja mais poder em nossas vidas.

Parte de segunda feira. A posse da vida eterna. ( I João 5:13 ).

Perg. 02 – Note este pequeno-grande e vital detalhe: O texto diz , virtualmente: “Para que tenhas a certeza de que já tendes a vida eterna, ou seja, a certeza da salvação em Cristo, agora neste exato momento.
Perg. 03. Está conscientizado de que sem perseverança em está com Cristo até o fim, guardando os Seus dons e subjugando o nosso corpo e o reduzindo a servidão pelo poder da Sua Graça e o nosso esforço diligente, perderemos a vida eterna que já tínhamos conosco ao receber em nosso coração a Pessoa de Cristo. Ver Apc. 2:10, este último texto nos informa que para recebermos a coroa da vida precisamos ser fiel até a morte; a certeza da salvação em Cristo nos impele a ser fiel até a morte e, o amor de Cristo por nós juntamente com o nosso amor a Ele é que nos dá poder para sermos fiéis e permanecer fiéis até o fim, conservando assim a vida eterna que recebemos como um dom de Cristo no mesmo dia em que Ele foi entronizado em nossos corações. .

Parte de terça feira. De acordo com a Sua vontade. ( I Jão 5:14-17 ).

Perg. 04 – Todo pedido feito de acordo com a vontade de Deus terá que passar pelo Único Intercessor de mérito e Suas orações intercessórias meritórias, ou seja, Jesus Cristo e Seus méritos; note que o verso 15 é enfático em afirmar que se sabemos ( temos certeza de que Ele nos ouve em tudo que Lhe pedimos ), também, podemos ter a mesma certeza e convicção de que já alcançamos os pedidos que Lhe fizemos. Esta frase, “segundo a Sua vontade” não tem que ver apenas com o assunto do pedido em si, mas, também, com a nossa situação espiritual. Note estas palavras da inspiração: “É uma solene declaração que faço à igreja, de que nem um entre vinte dos nomes que se acham registrados nos livros da igreja, está preparado para finalizar sua história terrestre, e achar-se-ia tão verdadeiramente sem Deus e sem esperança no mundo, como o pecador comum...;” “...E no entanto, a opinião geral é que a igreja está florescendo, e que a paz e prosperidade espiritual se encontram em todas as suas fronteiras. A IGREJA DEIXOU DE SEGUIR A CRISTO SEU GUIA E ESTÁ CONSTANTEMENTE RETROCEDENDO RUMO DO EGITO... .” Veja Serviço Cristão, págs. 40:6 e 38:5 e 39:1.Grandes milagres já foram realizados por Cristo em nossas vidas trazendo-nos do Egito para a terra de Canaã, portanto, é um verdadeiro contra-senso estarmos de volta a Egito e tendo deixado a Cristo nosso Guia para traz, por este motivo, as nossas orações deviam ser de pedido de misericórdia e de poder para que voltemos ao nosso estado de salvos do Egito e de permanência com Cristo nosso Guia, de outra forma, as nossas orações não vão está em harmonia com a vontade de Deus.

Pecado pra a morte e pecado que não é para morte.

Note bem o seguinte: Existem pessoas que “tentam” os anjos maus e tentam, também, a sua natureza pecaminosa para cometerem pecados e, uma vez em pecado, não tem o menor interesse em abandonar estes seus pecados; “foram iluminados, provaram o Dom Celestial, se fizeram participantes do Espírito Santo, provaram a boa Palavra de Deus e sentiram as forças poderosas do mundo que está para vir ( Heb. 6:4-5 ), mas votaram as costas a estas bênçãos de salvação e passaram a viver pisando o Filho de Deus, tendo por profano o sangue da Aliança, ultrajando o Espírito da Graça ( Heb. 10:26-29 ); esta classe de pessoas está cometendo o pecado que é para a morte, e, enquanto estiverem optando por esta situação, já não resta sacrifício pelos pecados e, neste caso, enquanto persistirem em viver nesta situação, será impossível que sejam outra vez renovados para arrependimento, porque de novo estão crucificando para si mesmo o Filho de Deus e expondo-O ao vitupério. Ver Heb. 6:6; isto, note bem, não significa que uma vez nesta situação, estão perdido para sempre, Não! Deus está interessado especialmente nesta classe, não esqueça textos como : Isa. 1:18;Lc. 19:10;João 6:37, etc. Não esqueça nunca estas promessas, elas em Cristo, ainda pertencem a você, por mais negra ou vermelha que seja a sua situação.

Pecado que não é para a morte. Seja qual for o pecado, a conseqüência deste é a morte ( Rom. 6:23 ), a não ser que haja um Substituto aceitável e que possua as devidas credenciais exigidas pela justiça da lei eterna da Divindade, que assuma estas conseqüências sobre Si. No caso citado acima, enquanto o pecador se mantém voluntariamente naquela situação, diz a Escritura, não resta mais sacrifício pelo pecado ( Heb. 10:26, últ.P. )e, o pecador está em situação de morte eterna; mas, não é esta a situação daqueles que, embora tenham aceito o Substituto e Penhor Jesus Cristo, ainda tem fraquezas a vencer e estão inconformados com as suas situações e lutando para conseguir vitórias. Veja com muita atenção Rom. 7:14-25 e, relacione com o assunto acima; para esta classe resta sim, o Grande Sacrifício do Cordeiro de Deus e, o seu estado não é para a morte. Amém!

Uma palavrinha sobre o pecado ( blasfêmia ) contra o Espírito Santo: Talvez até hoje ninguém tenha dito isso que vou dizer agora, mas vou dizer assim mesmo: Deus está interessado em perdoar até mesmo os que praticaram este pecado, o que Jesus estava dizendo ao falar que estes não tem perdão, não se refere a disposição de Deus em perdoar, mas sim, à indisposição voluntária do pecador em não aceitar as evidências da operação do Espírito Santo em sua vida; neste estado, ele não tem perdão em época alguma, mas a disposição divina é perdoá-lo; outra coisa: ninguém, nem mesmo os santos anjos, está autorizado a definir quem cometeu a blasfêmia ( pecado ) contra o Espírito Santo, somente Jesus Cristo tem esta autoridade, portanto, muito cuidado para não pretender possuir a mesma autoridade de Jesus Cristo.

Parte de quarta feira. Confiança de proteção. ( I João 5:18-19 ).

Perg. 05 – Ver o comentário acima.
Perg. 06 – Somos guardados de sermos tocados pelo maligno; tocar: estar sob o poder e domínio do inimigo, como o mundo se encontra, este é o sentido.

Parte de quinta feira. Tendo verdadeiro conhecimento da Divindade. ( I João 5:20-21.
Perg. 07 – Se associarmos este texto com João 14:6, no qual Cristo disse ser Ele Próprio a Verdade, note, não apenas Verdadeiro, mas Ele afirma que é a Verdade, Eu Sou a Verdade, disse Ele, com este verso deste texto de I João, teremos a conclusão que nesta passagem, Este Verdadeiro Deus e vida eterna, é Jesus Cristo que Paulo O define como O Grande Deus e Salvador. Veja Tito 2:13.
Perg. 08 – Note que este texto menciona os ídolos, são muitos e de várias espécies; o achismo é um deles, talvez o principal .

Pág. 129 – Orar ou não orar, eis a questão.

Somente por inspiração divina direta sobre certos casos isolados de doentes que pedem orações para serem curados de suas enfermidades, é que podemos definir quando e quem e por quem orar ou não orar pedindo a cura para as suas enfermidades; em muitos casos, na época de Cristo, doentes que tinham trazido eles mesmos as enfermidades sobre si, todavia, diz a inspiração, Cristo não Se recusava curá-los. DTN 787:1. A evidência que temos nos Evangelhos sobre esta questão, é que Jesus curava primeiro e depois é que estabelecia as condições e não, que Ele apresentasse condições para depois curar. Ver João 5:14;8:11;Mt. 4:23;12:15;14:14;Lc. 22:51; a inspiração também nos informa que naquela época, havia Aldeias inteiras onde não existia mais nenhuma casa em que ouvissem lamentos de enfermos porque Jesus por elas passara e lhes curara os doentes. Caminho a Cristo. 11:3. “Ora vem, Senhor Jesus.!”


Que possamos colocar Deus na empresa da nossa vida como Sócio Encarregado das nossas preocupações e nós como sócio encarregados das ocupações cultivando uma confiança absoluta de que Ele jamais deixará de fazer a Sua parte na sociedade e que possamos descansar e repousar sossegados mesmos que os problemas sejam aparentemente insolúveis, conforme Isa. 30:15 e I Pd. 5:7. Amém!


Por Gilson Nery B. Costa. Espírito Santo do Pinhal.
E-mail gilnery@uol.com.br Tel.19-3651-1987.
Estado de S. Paulo.Brasil.

Classe Universitários
www.oestadio.com/escola.shtml

assine o feed

Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

Créditos

100% Adventista

Site melhor visualizado no Google Chrome ou no Mozilla Firefox,
Desenvolvido por Bruno, membro da IASD Central do Rio de Janeiro.

Autores:

Clayson Albino

Daniel Santos

Editor Geral:

Bruno Vieira

Todos os Direitos Reservados © 2008 - 2013

Área Restrita

Usuário:
@comunidadeadventista.com
Senha:
Não consegue acessar a sua conta?

  © Comunidade Adventista - 2008 - 2013 | Desenvolvido por Bruno Vieira